Portal de notícias Caçador Online


Comentários (9)

Fabrício / Videira

25/08/2019 09:34

O estado de sc é outro nível em relação a varios outros, mas dentro do estado infelizmente temos muitas regiões que existem muita disparidade em termos de ganhos e distribuição de renda, o Oeste e meio Oeste tem áreas distintas, tem areas em evolução positiva e outros negativa. Vejo que nesse governo está piorando os níveis de emprego e a renda em geral teve grande perca, então aonde era razoável ficou ruim, e onde já era ruim ficou muito ruim, e isso afeta o comércio em geral. Se não vende não se compra e se não compra a indústria não produz e quem produz os insumos também não vende. E a Roda para ou anda muito lentamente, no caso das indústrias a roda está andando de Ré ou freiada. Uma solução caseira seria se ampliar os ganhos regionais, por que a depender do federal será cada vez pior essa distribuição. Cabe ao estado e nossos políticos tomar peito e propor essas mudanças.

LOJISTA DO CENTRO

24/08/2019 13:30

Hoje sabadão, 13:00 horas da tarde, e entrou 3 clientes na loja um comprou e os outros dois só olhou e pediram os preços. A coisa está ficando insuportável, nós fazemos promoções, damos desconto e investimos em marketing mas chegamos a conclusao de que é o povo é que não tem dinheiro para comprar. Do dia 30 até dia 10 até se vende e recebe alguma prestação depois é um Deus nos acuda. Já passou da hora de se melhorar os ganhos dos trabalhadores das nossas indústrias, se ele ganha mais ele gasta mais e no inicio da esteira se produz mais e se vende mais é tudo uma esteira, se a ponta de consumo diminui o inicio não produz e dai tudo fica travado. Aqui a maioria das empresas exportam e não dependem unicamente do mercado interno, caso dependesse só desse mercado 80% ja teriam entregado em recuperacao financeira, antiga concordata. Mas como nosso mercado é exportacao então da para dizer que estamos no paraíso. Só que 90% não tem esse privilégio. Ele vive no paraiso mas não tem condições de aproveitar essa condição.

Julio Cesar

24/08/2019 13:11

Gerou 70 empregos, mas empregos de 998.00 reais ou no maximo de 1100.00, que pouco ou nada vai mudar. O que nossa regiao precisa é melhor distribuição da renda, hoje concentrada em 4 ou 5 famílias e em um pequenissimo número de trabalhadores. Enquanto isso não mudar o comércio não venderá e o povo ficará dia a dia mais pobre e com menos poder de compra. E nosso comércio jogado as moscas durante 22 dias no mês.

Ex comerciante

24/08/2019 13:01

De empregado virei patrão com muito trabalho e economia fizemos nosso negócio, hoje é até triste falar mas Voltamos para o CLT, pois ficou impossivel de manter funcionado, o desemprego e a renda caiu muito nestes últimos trez anos a média de salário caiu os custos de quem está no comércio só aumenta, a inadimplência e a queda no consumo fez com que o pequeno empreendedor perdesse o fôlego, e antes de me quebrar parei. Parabéns BZO, perdi meu voto e minha esperança, vc está conseguindo ser mil vezes pior do que os que lá estavam.

V.. - Empleiteiro

24/08/2019 12:48

.... e Saber que a pouco tempo atrás nossa empresa gerava esse número por semana, as vezes até mais. Era dificel até de encontrar gente qualificada e até serventes, hoje quando surge uma vaga tem 100 a 150 currículos e muitas ligações por dia. Achei que nunca iria ter que falar isso na vida, mas hoje vou falar, não com gosto e nem por prazer, mas sinceramente e no fundo da minha alma tenho saudades da era Lula. Abreviei meu nome para não ser chamado de cumunista e anti governo, que ainda tenho uma pontinha minima de esperança, mas que já está arrebentando, digamos está no último fiozinho da corda e ele já está estourando.

Heráclito

24/08/2019 12:33

Embora o saldo seja positivo, não nos esqueçamos que a cidade praticamente só gera empregos de 1 a 1,5 salários, poder aquisitivo mínimo, limitadíssimo.

presidente

24/08/2019 11:39

Agora vão me culpar ai , por essa onde de empregos que esrta acontecendo ai, vão dizer que eu to colocando vagabundo para trabalhar ai pô!

Roberto ex construtor

24/08/2019 08:23

Que saudade do tempo em que se via filas nas lojas de materias de construção, de carros de entrega de material correndo o dia inteiro para tentar dar conta das entregas, era predios, edifícios, casas, sendo cintruidas, empresas ampliando etc. E hoje tudo morto e parado, com raras execoes se vê alguma reforma ou construção. E tem gente que ainda apoia o esse governo. Se bem que hoje a rejeição superou a aprovacao e chegou a 48% a rejeição dele.

Heitor V

23/08/2019 22:38

Um colosso!! O problema é que são empregos de baixíssima remuneração. O Brasil está andando de Ré faz tempo. Só em nivel de comparação nos tempos de Brasil pujante 2007 a 2012 a geração de emprego aqui era de 10x esse número. Hoje o nosso pibinho minúsculo Está beirando a zero. Só não está negativo devido ao agronegócio, o pib da produção industrial está negativo a meses.

Deixe seu comentário