Júri popular

Advogada acusa mídia de criar um mito do caso "Viúva Negra"

Tribunal do Júri continua lotado e não tem previsão para término

O júri popular de Marli Aparecida Teles de Souza e do filho Ulisses Souza de Oliveira segue com o Tribunal do Júri lotado. A sessão teve um recesso para o almoço e retornou os trabalhos por volta das 15h, com a argumentação da defesa.

A advogada, Márcia Helena da Silva, terá até 2,5 horas para apresentar a defesa. Durante boa parte do discurso, Márcia enfatizou que a imprensa local e nacional criou um “mito”, além de deturpar os fatos nas matérias.

“Quero que vocês [jurados] abram os olhos para entender outro ponto de vista além do que a mídia mostrou”, pondera Márcia, que alega inocência de Marli e do Ulisses.

A defesa citou como exemplo uma reportagem exibida no Fantástico, da Rede Globo. Na matéria, foram apresentadas as fotos de cinco supostas vítimas da “Viúva Negra”, das quais duas imagens estavam equivocadas.

Ela também alegou inocência de Marli em outras acusações. Márcia terá até às 17h30 para convencer os jurados de que os réus são inocentes. Se o promotor solicitar réplica, é provável que o júri se estenda até à noite.

Saiba mais:
"Viúva Negra" rompe o silêncio de dois anos no Tribunal do Júri



Comentários (0)


Deixe seu comentário